quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Ensinamentos

Desde muito cedo aprendi a sentir as músicas com a alma, fruto de uma característica que não sei se herdada ou se imitada do meu querido pai.
Lembro-me bem das vezes em que eu não encontrava sono entre os infinitos carneirinhos que eu contava e refugiava-me na sua companhia. Na realidade, não sei se por pura dificuldade de dormir ou se por estratégia em encontrar um momento em que eu pudesse senti-lo só para mim.
Ele, conivente com a minha insônia, sentava-me à sua bancada e entre os golpes de pincel e as tragadas no cigarro, o silêncio entre nós era embalado pelas músicas que variavam entre Bach, Vivald e Choppin. Lembro ainda que de todos eu preferia Vivaldi "é mais alegre painho!", hoje prefiro Bach.
Vez por outra eu pegava um papel e me punha a escrever atrevidamente quaisquer rimas que eu declamava ao final com fervor e empenho, lembro ainda que ele sempre achava genial, mesmo que os versos não fizessem sentido algum.
Dessas lembranças, uma das mais saborosas foi recentemente aguçada quando li no livro "Estuário" uma crônica do seu grande amigo Samaroni Lima, sob o título “Tocando em frente", uma das músicas preferidas do meu pai.
Lembro-me que eu a escutava repetidamente aos domingos, por uma imposição dele que me alertava da beleza da letra daquela música.
Enfatizava: "é preciso amor pra poder pulsar" e sempre fazia uma intercessão: "isso é lindo!"
Confesso que na época eu não entendia bem a beleza desses versos, talvez por não senti-la de fato ou porque minha tenra idade não me permitisse escutá-la com a alma.
Hoje entendo... E é tão bom saber que a vida pulsa motivada pelo amor!
As células dos nossos corpos estão pulsando deliberadamente e se pulsam há vida e se há vida há também amor, nossos corações quando embalados pelo amor pulsam com maior firmeza e rapidez e os corpos dos amantes pulsam num momento sublime de amor... Isso é vida e amor!
E assim, com este aprendizado sigo minha vida com amor e agradeço ao meu sábio, que dentre tantos ensinamentos ensinou-me a perceber o pulso da vida!




"ando devagar porque já tive pressa
e levo esse sorriso porque já chorei demais
hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
só levo a certeza de que muito pouco eu sei, que nada sei
conhecer as manhas e as manhãs
o sabor das massas e das maçãs
é preciso amor pra poder pulsar
é preciso paz pra poder sorrir
é preciso chuva para florir"

2 comentários:

ju lins disse...

;~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Patrícia disse...

Que lindo, Mila!!
Adorei a forma singela como retratou a relação e os aprendizados com seu pai. Vcs são privilegiados!!
Também gosto muito dessa música, tem um significado forte para mim.