domingo, 1 de março de 2009

A globo tá de mais!

A cada dia que se passa tenho a nítida certeza de que vivemos num mundo louco permeado por uma série de disparidades sociais que são sustentadas pela hipocrisia burguesa e fortalecidas pela empáfia midiática que tenta persuadir os seus consumidores com suas manipulações "fantásticas" para a manutenção do seu status quo.
Agora pouco assisti a uma contradição gritante da nossa gloriosa rede globo... E foi fantástico (?)
Uma reportagem sobre os municípios brasileiros com o menor Índice de Desenvolvimento Humano - IDH, que tem Manari aqui em Pernambuco liderando as cidades de menor IDH brasileiro, me deixou engasgada...
De maneira sensacionalista a reportagem explorou a miserabilidade daquele povo, acontece que depois que um operário pobre e nordestino (ah! Pernambucano, do mesmo Estado das famílias de Manari) se tornou presidente, falar de pobreza e miséria está em alta...
A falta de água, de suprimentos básicos, de instrução, de perspectivas, não superou a falta de moral da mídia.
Pouco antes, num dos "escapismos" globais fui telespectadora de uma reportagem imbecil que se preocupou em mostrar de maneira enfática e infinitamente idiota a glória de um cachorro vira-lata que se aventurou em entrar na Sapucaí no dia do desfile das escolas de samba do grupo especial.
O bravo cachorro foi devidamente adotado por uma heroína imbecil que explicou psicologicamente a atitude do cachorro e foi enaltecida pela bravura e extremo altruísmo em adotar um cachorro de rua.
Como diria o Quanta Ladeira... a globo tá de mais!
Fiquei me perguntando: o que danado a globo está tentando provar?
Será que o bravo vira-lata é mais digno do que as famílias daqueles municípios?
Será que a atitude altruísta de “psicólogos de cachorros” é mais eficaz do que atitudes que enfrentem o nosso real problema?
Às vezes fico com a impressão que a mídia brasileira coloca um nariz de palhaço em todos nós e pior com a nossa concessão!
Enquanto isso a família de Manari está agora comendo um combinado de água, óleo e farinha...
E viva a hipocrisia!

3 comentários:

erico disse...

As mídias buscam atender a interesses diferentes de um serviço em benefício da cidadania -como as pessoas tendem a acreditar - pois se definem através de uma lógica comercial: são empresas numa economia liberal, em situação de concorrência com outras empresas, cada uma delas preocupada em captar a maior parte do público; e nem sempre estão isentas de posicionamentos ideológicos. O viralatas da sapucaí e os mortos de fome do Minari se transformam nas mesmas mercadorias-pop prontas para o consumo de gente muito pouco preocupada em assumir posturas críticas.

Eu sou disse...

bem feito pra mim...
eu sou culpada o/

deveria estar lendo um livro...
hahahaa

erico disse...

que nada :) vc está mais do que certa em se indignar. mas é que essa função de "serviço ao cidadão", comumente atribuída ao jornalista, apenas não me parece totalmente correta (a coisa toda é mais complexa) além disso, não se pode ignorar os índices de audiência de um fantástico serem tão altos :D