quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

O coração de quem ama demais

A notícia chegou como uma avalanche...
- Infarto????
- Sim, mas ele tá bem
Pensei:
- Como ele pode estar bem? Isso só pode ser pra me acalmar.
Mesmo assim, agradeci e corri para o ponto de ônibus para chegar logo no hospital.
Nesse momento o meu maior desejo era ser transportada via pensamento, funcionaria assim:
Eu fecharia os olhos e no espaço de tempo de dois longos segundos eu estaria no hospital.
Mas o fato é que tive o desprazer de pegar ônibus e encontrar todos os sinais vermelhos, Murphy explica!

No caminho fiquei me perguntando o porquê isso veio ocorrer, logo com meu velho que tanto utiliza o coração? Lembrei da crônica que fiz sobre o ensinamento que me deu acerca da pulsação da vida...
A vida dele, sempre bem vivida!
- Eureca! - pensei
- O coração dele está mal, por excesso de uso. Faz todo o sentido!
Meu pai, usa o coração pra falar, pra ensinar, pra trabalhar, pra ler, pra estudar...

No hospital... tento burlar tudo e à todos para sempre estar junto a ele.
- Moça, essa área é restrita para funcionários
- Mas eu sou funcionária!

Unidade Coronariana, é feio esse nome né?
Talvez parecesse mais colorido se assim fosse:
- Unidade das pessoas que usam demais o coração...

Bobagens à parte, o fato é que ele tem melhorado um bocado.
E o meu coração é que está todo quebrado... deixá-lo naquela cama de hospital, todo furado é cruel demais.
Mas até debilitado ele impulsiona a gente pro bem...
- Painho, eu estou bem, mas a noite dá uma pena de deixar tu ficar sozinho aqui. Era bom que a gente conseguisse ficar contigo né?
- Não minha filha, é importante que eu passe por tudo isso, porque assim eu revejo as minhas condutas. Tenha certeza, tudo isso aqui tem sido muito importante para mim!

Mesmo assim, o meu egoísmo não permite que assim eu veja
E todo meu desejo é que ele volte para casa logo para ainda me ensinar muitas coisas.

"coração bobo, coração bola
coração balão, coração são joão
a gente se ilude
dizendo já não há mais coração"

2 comentários:

Magna Santos disse...

Vi teu comentário no Estuário e vim parar aqui. Que bom que Iramaraí tem uma filha como tu. Não o conheço, a não ser pelas palavras de Samarone. No entanto, deu pra sentir que é muito boa gente e agora, pelas tuas palavras, senti que ele sabe das coisas. Pensa este momento do teu pai como um burilamento. Ele vai sair dessa muito mais inteiro, feliz e com um brilho impossível de apagar. Só sabe o que estás sentindo quem já passou. Aproveita também a oportunidade de aprendizado.
Que Deus te abençoe!
Beijo.
Magna

Ana Paula disse...

Que texto mais lindo, Milla.Tô toda emocionada aqui.
Amo tu